Carreira Vestibulando Vida de Estudante

9 dicas para planejar e organizar sua rotina de estudos

A rotina de quem estuda nem sempre é uma mar de rosas. Existem várias circunstâncias que como, distrações, matérias a serem revisadas, dificuldades de concentração, que acabam fazendo que o dia a dia do estudante sejam um campo de batalha. Mas para vencer essa guerra, uma tática eficiente é organizar a rotina de estudos.

A organização ajuda a manter o foco no que realmente importa, otimizando o tempo e ainda melhorando o seu rendimento. Quer aprender a colocar ordem no seu cotidiano? Confira 9 dicas sobre como se organizar para estudar.

1. Defina a sua rotina diária

Comece observando a sua rotina e descubra quanto tempo tem livre para se dedicar aos estudos. Aproveite para tomar algumas decisões difíceis, como cortar as atividades que são dispensáveis. Para isso, você precisa se conhecer bem e fazer um planejamento de longo prazo — ele é importante para determinar o que será feito durante a jornada.

Além disso, organize um espaço para poder estudar. Coloque nele, em local visível, o objetivo que justifica os estudos. Essa mensagem ajudará nos momentos difíceis, lembrando qual é a sua verdadeira prioridade.

Em uma folha de papel ou planilha no computador, anote todas as atividades que você tem e seus respectivos horários. Inclua a hora de acordar, dormir, tomar café da manhã e até levar o cachorro para passear. O objetivo aqui é conseguir visualizar todos os seus compromissos.

2. Monte um cronograma com os seus horários

Pegue as anotações que fez no tópico anterior e verifique quais são os horários livres que você tem para estudar. Some-os e veja, em horas, qual é a sua disponibilidade. Se o tempo total for inferior ao necessário para que você consiga revisar as matérias, fazer simulados e ler as leituras obrigatórias, é sinal de que algumas atividades deverão ser revistas.

Outro ponto necessário para organizar a rotina de estudos é analisar quais são as suas demandas diárias para ser capaz de aproveitar cada minuto possível para estudar. Em vez de desperdiçar o tempo com redes sociais, papo com os amigos ou com um programa de televisão, concentre-se para absorver o conhecimento que foi visto em sala de aula.

3. Selecione as matérias para estudar

Separe as matérias para estudar, utilizando como critério o peso que elas terão no seu resultado e a dificuldade para aprendê-las. Pegue uma folha de papel e, no topo, coloque as disciplinas que têm mais peso na sua prova. Divida a parte inferior em duas e, do lado esquerdo, ponha as matérias com menor peso e, do direito, as complementares.

As matérias que têm maior peso ou são mais importantes devem ser estudadas de 1 a 2 horas por dia. Já as de menor peso devem ser revistas de 30 a 60 minutos diariamente. Por fim, as complementares podem receber de 10 a 20 minutos da sua atenção diária.

4. Crie um ciclo de estudos flexível

A rigidez de um cronograma fixo pode fazer com que você se desmotive e deixe de estudar uma determinada disciplina. Uma rotina sempre pode conter imprevistos, portanto, prepare-se para mudanças de última hora.

Diante de um compromisso que acabou de surgir, pegue o seu planejamento e reordene os horários para que seja possível estudar em um horário alternativo. Caso seja necessário, inverta a programação do dia.

5. Estabeleça um período para descansar

Por mais que digam que você precisa estudar sem parar, é importante saber que o descanso e o lazer são fundamentais para o seu aprendizado. É compreensível quando há, durante a semana, um curto espaço de tempo para se dedicar aos estudos — como o sábado e o domingo. Nesse caso, é necessário maximizar o tempo para conseguir aprender.

Mesmo que essa seja a sua situação, saiba que a pausa entre uma matéria e outra é essencial para a qualidade do seu aprendizado. O cérebro é como os outros músculos do corpo. Ele precisa de um tempo para assimilar o que está aprendendo e, mesmo em repouso, continua consolidando informações na memória.

Quando você pula o momento de descansar ou se divertir, isso gera uma estafa mental — prejudicando sua concentração e aumentando a chance de procrastinar. O mais difícil não é organizar a rotina de estudos, mas cumpri-la.

6. Determine um método de estudo

Mesmo que ainda não tenha percebido, você adota algum método de estudo. Por exemplo, revisar a matéria dada, assistir filmes sobre os temas estudados e fazer resumos são diferentes técnicas de aprendizado. O que você deve se perguntar é se seu método é o mais adequado. 

Para ajudar a ter essa resposta, você deve se questionar qual sentido utiliza com mais facilidade. Por exemplo, você aprende melhor ouvindo um conteúdo em podcast ou lendo na apostila? Perceba se você é alguém mais visual ou auditivo. 

Depois, analise como seu cérebro guarda melhor as informações. Por exemplo, geralmente as pessoas gostam de estudar na véspera da prova. Mas há quem aprende melhor quando estuda logo que a matéria foi dada. Busque entender como o processo de memorização é para você. A partir disso, monte seu próprio método de estudo. Una o útil ao agradável, escolhendo uma fórmula eficiente para você.

7. Escolha um lugar adequado para estudar

Você pode ter os melhores livros e apostilas do mundo, mas se não estudar no lugar adequado, nada terá valido. Dessa forma, procure montar seu canto de estudos. O mobiliário é um item importante a ser considerado. Afinal, não dá para estudar direito deitado na cama, certo? Tenha uma mesa para estudos que seja de acordo com sua altura.

Também pense em escolher um local que tenha poucas (ou zero!) distrações. Estudar assistindo televisão ou acessando a internet de forma indiscriminada não vai render a você bons pontos na prova. Prefira um local onde há apenas o mobiliário necessário e seus materiais de estudos. 

8. Pratique atividades físicas

Muita gente fica pensando que enquanto faz uma corrida poderia estar memorizando fórmulas de matemática. Mas essa lógica não é justa. Isso porque praticar atividades físicas tem efeito benéfico para os estudos. Sabe-se, por exemplo, que os exercícios melhoram a memória e o raciocínio lógico. 

Isso porque as ligações neuronais responsáveis pela transmissão de informações aumentam com a prática de exercícios. Em temos práticos, as células cerebrais ficam mais bem desenvolvidas o que faz mente se manter ativa e jovem.

Além disso, exercícios físicos melhoram a concentração. Isso porque uma corrida, natação ou outra prática esportiva ajudam a desenvolver reflexos mais apurados. Essa característica faz aumentar o foco na realização de atividades escolares ou acadêmicas.

9. Durma bem

Muita gente acha que dormir é uma perda de tempo, mas esse descanso é essencial para qualquer rotina de estudos. Isso porque, durante o sono, as matérias são assimiladas de maneira mais duradoura. Quem dorme bem está com a mente apta a receber novas informações e a memorizá-las mais facilmente. E a falta de dormir é um dos fatores de estresse e irritabilidade, prejudicando muito a concentração e o raciocínio.

Existem pessoas que se sentem restauradas com seis horas de sono, outras com oito ou um pouco mais. Tudo depende do organismo de cada um. O ideal é que você perceba isso naturalmente.

Essas foram algumas dicas de como se organizar para estudar.  É importante destacar que nem sempre vai dar para você aplicar todas essas dicas ao mesmo tempo e no mesmo dia. Faça gradativamente. 

Comece pensando em organizar os espaços de estudos. No outro dia, concentre-se em definir o método de estudos. Assim sucessivamente, até que você consiga encontrar um fluxo de estudos satisfatório e eficiente.

Você é do tipo de pessoa que acha que as faculdades são todas iguais? Enganou-se! Leia este texto e descubra as diferenças entre os tipos de faculdades.

You may also like
Saiba mais sobre o promissor mercado de startups mineiro
Plano de estudos intensivo: 5 dicas para montar o melhor
De Estagiário a Funcionário em Menos de Seis Meses, Estagio em Engenharia de Produção Uma Ótima Forma de Aprender.

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Nome*
Site

Share This