Vestibulando

Bacharelado, tecnólogo ou licenciatura: como escolher?

O momento de definir qual o curso de graduação fará nunca é uma tarefa fácil, isso porque é ele que, em alguma medida, ajudará a determinar o seu futuro profissional.

Preocupados com essa decisão, muitos jovens esquecem de considerar fatores igualmente importantes, como a qualidade da faculdade escolhida, os auxílios oferecidos pelas instituições e, até mesmo, a modalidade de graduação mais adequada para cada profissão: tecnólogo, bacharelado ou licenciatura?

Para ajudar nesse momento decisivo, nesse post explicaremos as diferenças entre as três modalidades de curso superior existentes no Brasil. Continue a leitura para conhecer os prós e os contras de cada opção. Confira!

Os caminhos do bacharelado

O bacharelado é o tipo de graduação mais popular entre os estudantes brasileiros. De acordo com o Censo da Educação de 2014, 68% dos alunos matriculados no ensino superior optaram pelo bacharelado.

Os cursos de bacharelado têm duração entre 4 a 6 anos — dependendo da grade curricular da graduação — e fornecem conhecimentos teóricos e científicos, que servirão de base para que o estudante possa se especializar no futuro, seja por meio de uma pós-graduação, de uma pesquisa científica ou no exercício da profissão.

A formação em bacharel é generalista e, por isso, tem ampla aceitação no mercado de trabalho. Esses profissionais, no entanto, não estão aptos a trabalhar como professores na rede básica de ensino.

Para os indecisos, essa modalidade é bastante interessante, pois oferece a possibilidade de experimentar diferentes caminhos ao longo da formação. É possível experimentar atividades voltadas para o meio acadêmico — por meio de projetos de extensão e pesquisa —, científico ou mercadológica — com a realização de estágios.

O objetivo principal em um curso de bacharelado é proporcionar ao estudante um contato direto com as diferentes áreas de atuação. Dessa forma, a pessoa poderá tomar uma decisão mais acertada e seguir caminho para a especialização.

Se existe interesse em virar professor, os cursos de bacharelados são o suporte para uma especialização acadêmica, por meio do mestrado e doutorado. Essas especializações permitem participar de processos seletivos para a área de docência na Educação Superior.

O título de bacharel compreende, majoritariamente, cursos das áreas de humanas e exatas, alguns tradicionais como Medicina, Jornalismo, Direito, Engenharia, Psicologia e Administração.

As possibilidades oferecidas pela licenciatura

Outra modalidade bastante comum no país são os cursos de licenciatura. Eles são voltados para a formação de professores que atuarão na Educação Infantil, no Ensino Fundamental e no Médio. Na legislação educacional brasileira, o diploma de licenciatura é o único que permite aos graduados a atuação como professores nestas etapas de aprendizagem.

Nos cursos de licenciatura, os estudantes têm disciplinas nas áreas de didática e pedagogia. Em alguns casos, os estudantes podem optar pelo diploma duplo, cursando bacharelado e licenciatura de forma híbrida.

Normalmente, os cursos dessa modalidade têm entre três a quatro anos de duração. Caso o estudante opte pela formação híbrida, é necessário primeiro conquistar a habilitação em uma das modalidades (bacharelado ou licenciatura) para, posteriormente, graduar-se na outra. Nesse cenário, a formação total pode levar entre cinco a seis anos.

A formação híbrida é possibilitada para cursos que oferecem graduação nas duas modalidades, como Química. Entretanto, enquanto o bacharelado de Química tem foco em pesquisas e atuações na indústria, o bacharelado tem disciplinas voltadas para formar professores dessa matéria.

Os profissionais graduados em licenciatura poderão atuar em escolas públicas e privadas, escolas bilíngues e de idiomas e em cursos preparatórios para concursos públicos ou pré-vestibulares. Os formados em licenciatura também podem trabalhar como professores universitários, se possuírem mestrado e/ou doutorado.

Vale destacar também que a habilitação em licenciatura permite a participação em concursos públicos que exija a formação em Curso Superior.

A agilidade profissional do tecnológico (ou tecnólogo)

Os cursos tecnológicos existem desde a década de 60, mas só se popularizaram recentemente. Por isso, uma dúvida frequente entre os estudantes é saber se um curso tecnológico tem o mesmo peso que uma graduação. A resposta é sim! O Ministério da Educação (MEC) reconhece diplomas tecnológicos como diplomas de ensino superior.

Essa modalidade de graduação é mais rápida que as anteriores. Além da menor duração dos cursos (entre dois e três anos), os estudantes que optam pela formação tecnológica costumam ser inseridos rapidamente no mercado de trabalho. Isso acontece porque esses cursos são voltados para a formação especializada.

Assim como os egressos dos cursos de bacharelado e licenciatura, os tecnólogos recebem diploma de graduação, o que garante aos formados o direito de fazer cursos de especialização, de mestrado, de mestrado profissional ou de doutorado, além da habilitação em concursos públicos.

Os cursos oferecidos nessa modalidade têm como foco a prática. Por isso, estão direcionados aos estudantes que procuram uma qualificação rápida para uma ágil inserção no mercado de trabalho.

As disciplinas não estão direcionadas para o estudo de teorias, filosofia e sociologia, mas sim na prática da área profissional. Por isso, os cursos criados dialogam com a necessidade momentânea do mercado. Ou seja, caso a instituição de ensino entenda que existe demanda por determinado profissional, ela poderá ofertar a qualificação por meio de um tecnólogo.

A formação, portanto, está estritamente relacionada às necessidades para a atuação profissional. A grade curricular disponibiliza matérias práticas com o intuito de qualificar a mão de obra, possibilitando a procura por um emprego de forma mais imediata.

Os fatores a considerar para a escolha

A escolha da modalidade do seu curso é tão fundamental quanto a da sua profissão. Por isso, você deve se informar sobre o assunto antes de ingressar no Ensino Superior. Pesquise, visite feiras de profissões e converse com alunos e profissionais da sua área de interesse.

Na hora de escolher um curso superior, lembre-se de considerar alguns fatores que influenciam na sua experiência universitária, por exemplo, descobrir se o curso é integral, noturno ou diurno (se você precisa trabalhar, um curso integral pode não ser uma boa opção). Além disso, verifique quais os benefícios que a instituição oferece, como preços acessíveis, transporte exclusivo e rápida inserção no mercado de trabalho.

Os cursos de tecnólogo, bacharelado ou licenciatura precisam dialogar com os seus interesses e necessidades. Por isso, é preciso entender quais os seus objetivos com a graduação.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre cada modalidade da graduação, conte para a gente nos comentários: tecnólogo, bacharelado ou licenciatura? Qual delas é a melhor para você?

You may also like
Quais são as fases do curso de medicina? Descubra!
Saiba mais sobre a carreira e o curso de engenharia civil
Quais as vantagens de uma faculdade particular de medicina?

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Nome*
Site

Share This