Carreira

Como fazer um mapa mental? Veja a técnica que vai facilitar sua rotina de estudos

Saber como fazer um mapa mental se tornou o objetivo de muitos estudantes  e isso não é para menos. Afinal de contas, essa técnica de memorização de assuntos por meio de associação de ideias, conceitos e palavras-chaves, que é muito usada por quem estuda para concurso, também é excelente para se preparar para o vestibular

Mas como fazê-lo da maneira correta e assegurar o melhor entendimento visual possível dos assuntos escolares? Bem, é isto que você descobrirá neste post com o nosso passo a passo. Acompanhe!

Tenha os materiais adequados

Para começar, é fundamental contar com os materiais adequados para ter como fazer os mapas mentais, especialmente se você é do tipo mais tradicional.

Portanto, disponha de um pacote de folhas  que podem ser todas brancas ou coloridas, com uma tonalidade para cada matéria/assunto  e itens para escrever e destacar os pontos/tópicos mais importantes (como lápis, caneta, marca texto, giz, canetinha etc).

Agora, se você prefere um formato virtual para acessar do seu notebook ou do seu celular, por exemplo, pode apostar em plataformas (como o Canva e o GoConqr) e aplicativos (como o Mindly e o miMind).

Destaque temas centrais

Uma vez com o material necessário em mãos, é hora de começar a produzir os mapas mentais. Para tanto, separe cada folha ou página virtual e no centro delas destaque um tema central. 

Ele será o ponto-chave do conteúdo e servirá não só para que você possa fazer as devidas ligações e desdobramentos necessários, mas para ajudá-lo a colocar em ordem as suas ideias  o que vai facilitar (e muito) na hora da revisão.

Faça as devidas ligações 

Feito o passo anterior, é hora de criar, por meio de linhas e setas com cores chamativas, as conexões que se direcionam aos quatro cantos da folha/página virtual e apresentam tópicos que podem ou não ter subtópicos. 

Justamente por essa razão, o mais indicado é se manter em, no máximo, quatro deles, até mesmo para não poluir visualmente os mapas. Para facilitar a sua compreensão, imagine que o tema central é anatomia humana. A partir dele, você faz três ligações:

  • tecidos: conjuntivo, epitelial, nervoso etc;
  • órgãos: fígado, rins, coração, pulmões, pâncreas etc;
  • sistemas: digestivo, reprodutor, excretor, urinário etc.

Outro exemplo é o tema nazismo que, por sua vez, tem subtópicos mais extensos. Veja:

  • período: datas em que se iniciou (1933) e terminou (1945) o regime, além dos anos com acontecimentos mais marcantes (1939 – início da Segunda Guerra Mundial);
  • principais nomes: Adolf Hitler; Joseph Goeebles, Rudolph Hess, Albert Speer etc;
  • vítimas desse período: judeus, ciganos, homossexuais, afrogermânicos, doentes mentais/físicos etc;
  • países dominados: Polônia; França, Ucrânia, Bélgica, Holanda etc.

Revise-os periodicamente

Por fim, mas não menos importante, organize-os seus mapas mentais com os demais materiais de apoio para os seus estudos, como resumos e anotações. Dessa forma, é possível revisá-los com frequência e, assim, assimilar melhor as ideias e os assuntos destacados neles.

Agora que você já está por dentro de como criar mapas mentais, não deixe de utilizá-los para potencializar o seu aprendizado e, de quebra, aumentar a sua capacidade de memorização. Dessa forma, você estará muito mais preparado para o vestibular e, futuramente, para a sua faculdade!

E aproveitando que falamos sobre resumo, confira também como fazê-lo para as provas!

You may also like
FACIG participará da IV Jornada Internacional sobre Ética, Justiça e Gestão Institucional
Como montar o primeiro currículo? Conheça 5 erros comuns!
Enfermeiro, técnico e auxiliar de enfermagem: entenda as diferenças!

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Nome*
Site

Share This