Carreira

Enfermeiro, técnico e auxiliar de enfermagem: entenda as diferenças!

A área da saúde é reconhecida pelos seus diversos campos de especialização e com a carreira de enfermagem não é nada diferente. Enfermeiro, auxiliar e técnico de enfermagem: o que faz cada um desses profissionais? Caso ainda não saiba ou tenha dúvidas, fique tranquilo. Ao longo deste post, vamos esclarecer todos os detalhes sobre o assunto.

Adiantamos que a carreira na área de enfermagem causa uma grande sensação de autorrealização para aqueles que desejam ajudar o próximo. Nesse sentido, existem poucas atividades profissionais que despertam tanta curiosidade.

Entretanto, para aqueles que estão em busca de ingressar nessa atividade profissional, é preciso, antes de qualquer coisa, saber que existem vários caminhos possíveis. Pronto para saber mais? Então, continue a leitura!

Diferenças entre as formações

O cargo do enfermeiro muda de acordo com sua formação. Como há três grandes “cursos básicos”, é preciso saber que existem algumas diferenças entre cada um deles.

Antes de iniciar os seus estudos, entenda bem o papel de cada uma dessas formações para que não ocorra um descontentamento com a profissão e com o curso escolhido.

mercado de trabalho disponível ao profissional de enfermagem é bem amplo, de forma que cada um dos cursos apresentam suas particularidades quanto às técnicas de ensino e conteúdo.

Veremos algumas dessas diferenças abaixo. Vamos em frente!

Graduação em enfermagem

Os graduados que querem fazer a carreira de enfermagem são aqueles que chamamos de “enfermeiros” no alto sentido da palavra. Aqui, o curso é de ensino superior e o formando é o responsável por organizar as funções do técnico e do auxiliar em enfermagem.

O profissional precisa ter capacidade de liderança, proatividade e uma boa noção do gerenciamento do tempo e de uma equipe, além de dominar os procedimentos médicos que são de sua competência.

Esses profissionais podem variar a sua atuação de acordo com cursos de especialização. Não podemos nos esquecer de que o graduado em enfermagem também está apto a realizar todos os procedimentos que são feitos por sua equipe em um hospital ou outro local de trabalho da sua escolha.

A graduação tem duração média de cinco anos, com uma grade curricular bastante completa. Esses profissionais lidam com pacientes que estão em todos os graus de complexidade. Assim, atuam tanto na execução de curativos e atividades mais simples até na assistência em condições emergenciais que envolvem o risco de morte.

Curso técnico em enfermagem

O curso técnico de enfermagem é aquele que capacita um indivíduo a realizar os procedimentos de cuidados médicos a um paciente, seja qual for a sua área de atuação.

Esse profissional é subordinado do graduado em enfermagem e seu curso tem duração média de dois anos.

Cuidados no pré e pós-operatório, por exemplo, fazem parte da rotina da maioria desses profissionais. Entretanto, o trabalho em clínicas de tratamento intensivo e em outras instalações médicas também pode ser o seu local de atuação.

Aqui vai uma curiosidade: é importante mencionar que o técnico de enfermagem sempre trabalha sob supervisão de um enfermeiro.

O grau de complexidade dos pacientes pode variar de acordo com a função. Entretanto, casos mais graves também podem fazer parte do conjunto de atividades desempenhadas pelo técnico de enfermagem (desde que ele seja supervisionado).

Curso de auxiliar de enfermagem

O auxiliar de enfermagem é o profissional que fornece ajuda para o técnico e o enfermeiro. Seu curso tem a duração mais curta entre todas as carreiras que apresentamos aqui. A média é de um ano e meio, podendo variar um pouco de acordo com a instituição.

O auxiliar de enfermagem deve sempre trabalhar sob supervisão (seja do técnico ou do enfermeiro) e a complexidade dos pacientes pode variar de acordo com sua função dentro de uma instituição de saúde.

Aplicar vacinas, fazer curativos, ministrar medicamentos e outras tarefas presentes nos outros dois cursos podem compor parte da rotina do auxiliar de enfermagem. Lembrando que as outras áreas citadas também estão aptas a realizar esses procedimentos que são considerados de baixa complexidade.

Como viu, o cargo pode variar drasticamente de acordo com a formação desse importante profissional de saúde. Ressaltamos que, além do desejo pessoal, é preciso observar a vocação para ingressar em qualquer um desses cursos.

Perfil para trabalhar com enfermagem

Uma característica necessária aos profissionais de enfermagem é a habilidade de trabalhar sob condições tensas, chegando a níveis extremos. Dependendo do caso, os pacientes estarão em situação crítica e emergencial, de forma que cada segundo será importante para salvar a vida deles.

Outra característica desejável tanto no perfil do enfermeiro quanto no do técnico e do auxiliar de enfermagem é a capacidade de trabalhar em equipe. Afinal, muitos procedimentos da área envolvem a cooperação multifuncional. Isso quer dizer que o espírito colaborativo é essencial junto ao respeito ao campo de conhecimento de cada pessoa envolvida.

Por fim, para ter sucesso no trabalho, não pode faltar o controle das emoções, organização, paciência e foco.

Possibilidades de atuação

As possibilidades de atuação, bem como a variedade de atividades executadas pelo profissional de enfermagem, são muito extensas. Isso representa uma amplitude significativa no mercado, ou seja, muitos postos de trabalho ficam à disposição daqueles que se qualificaram na área.

Engana-se quem pensa que somente os hospitais empregam esses profissionais. Clínicas, consultórios médicos, instituições de ressocialização, redes ambulatoriais, casas de repouso, abrigos, creches, unidades básicas de saúde, SPAs, laboratórios de análises clínicas e unidades de diagnóstico também são possibilidades disponíveis no mercado.

Dentro do escopo de atividades desempenhadas pelos profissionais de enfermagem, separamos algumas mais gerais para você ter uma noção sobre o que pode encontrar pela frente caso decida seguir por esse caminho:

  • coletar materiais para exame (como o sangue);
  • fazer curativos;
  • gerenciar a ingestão de medicamentos dos pacientes;
  • medir e, se for o caso, controlar a temperatura dos pacientes;
  • prestar primeiros socorros;
  • auxiliar médicos plantonistas;
  • administrar a alimentação dos pacientes;
  • prestar assistência aos pacientes em recuperação.

Mercado de trabalho para a área

Os profissionais que decidiram investir na área de enfermagem encontram um mercado muito promissor para a atuação. Afinal, a saúde é uma preocupação de todos, portanto, o setor segue em expansão.

Como você já deve imaginar, a remuneração varia de acordo com o nível de formação escolhido. No topo estão os enfermeiros com os melhores salários. Em seguida, aparecem os técnicos com receitas que, em média, correspondem a pouco mais da metade dos primeiros. Por último, o menor pagamento mensal pelos serviços prestados é destinado aos auxiliares.

Vamos falar de números? De acordo com o Guia de Salários e Profissões da Catho, temos:

  • Enfermeiro: R$ 3.200.
  • Técnico de enfermagem: R$ 1.916.
  • Auxiliar de Enfermagem: R$ 1.600.

Gostou do nosso post sobre enfermeiro, auxiliar e técnico de enfermagem? O que faz cada um deles pode gerar dúvidas em muita gente, mas a partir de agora esse não será o seu caso. Conhecer bem as possibilidades de atuação dentro da área que você tem afinidade é um diferencial que permitirá uma escolha acertada sobre o seu futuro.

Agora, continue a jornada de aprendizado e aprofunde os seus conhecimentos com a leitura do nosso post sobre o perfil de um bom enfermeiro! Que tal?

You may also like
Como é o mercado de trabalho de Pedagogia?
Afinal, quanto ganha um administrador de empresas?
JOMU

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Nome*
Site

Share This