Vestibulando

Esclarecemos 8 dúvidas de português para te ajudar na redação do Enem

É natural que a cabeça de um estudante prestes a fazer o Enem ou uma prova de vestibular fique em efervescência. Afinal de contas, a quantidade de conteúdo a ser absorvido e armazenado é realmente grande.

Por isso, é fundamental não guardar dúvidas de português ou de qualquer outra matéria. Muitas pessoas acabam não dando a devida importância a isso, mas os pontos acumulados com uma boa noção de português e redação de textos podem fazer toda a diferença para garantir a vaga em um curso concorrido — o de Medicina, por exemplo.

Leia o post a seguir para conhecer alguns dos erros mais comuns e afastar de vez esses problemas da sua prova e da sua vida!

1. Através/por meio de

As duas locuções adverbiais estão corretas, mas o equívoco fica por conta do seu emprego inadequado, já que elas não significam a mesma coisa.

“Por meio de” indica um instrumento na ação, como em: “soube do terremoto por meio da televisão”. Já “através de” está relacionada ao movimento de atravessar algo fisicamente, por exemplo: “a claridade entra no quarto através da janela”.

2. Com certeza/concerteza

É uma confusão bastante recorrente entre as pessoas, que acabam escrevendo “concerteza”. No entanto, a locução adverbial é formada por duas palavras e a maneira correta de escrevê-la é sempre separando a preposição “com” da palavra “certeza”.

3. Denovo/de novo

Esse caso segue a mesma norma do item anterior, já que também se trata de uma locução adverbial. Por isso, a expressão “de novo” nunca deve ser escrita junta, mas separadamente: “Amanhã quero ir de novo ao museu”.

4. Despercebido/desapercebido

Embora possa parecer que essa dúvida não seja mais tão comum, algumas pessoas ainda confundem o contrário do verbo perceber (desperceber) com o do verbo aperceber.

O último, que significa desprovido ou desabastecido, não é muito utilizado. O erro acontece ao usá-lo quando quiser indicar aquilo que não foi percebido ou notado — que se escreve corretamente sem a vogal: “despercebido”.

5. Haver/a ver

O verbo “haver”, no sentido de existir, não deve ser usado quando uma pessoa quer dizer que uma coisa tem ou não tem relação com outra. Por exemplo, para dizer que Ana não se parece com Joana, dizemos “Ana não tem nada a ver com Joana”.

A maneira correta de utilizar o verbo com o significado em questão é em frases onde ele pode ser substituído por verbos como “existir” e “ocorrer”. Por exemplo, “ocorreram mudanças na equipe” poderia também ser “houve mudanças na equipe” — lembrando sempre que o verbo “haver” deve ser usado impessoalmente nesse caso, pois não tem sujeito.

6. Mal/mau

Esta é uma regra antiga que muitos estudantes e pessoas no dia a dia acabam esquecendo. A dica é sempre trocar a palavra em questão pelo seu antônimo, para ver qual se encaixa melhor. Assim, “mal” é advérbio e o contrário de “bem”, enquanto “mau” é adjetivo e o oposto de “bom”.

7. Faz/fazem

O verbo “fazer” no passado costuma causar incertezas na hora de formular uma frase, seja escrita ou falada. Mas, de acordo com as regras do português, devemos utilizar somente a forma no singular quando quisermos indicar tempo decorrido.

Assim, o verbo fica impessoal e não concorda com o sujeito, como nos exemplos “faz um dia que voltei de viagem” e “faz vinte minutos que estou esperando”.

8. Para mim/para eu

A ideia aqui é utilizar o “mim” sempre que ele for objeto direto, e o “eu” quando for o sujeito da frase. Portanto, antes de um verbo no infinitivo devemos usar sempre “eu”, como na frase: “Faltam dez dias para eu entrar de férias”. Já o “para mim” servirá de complemento em uma frase, como por exemplo: “Você pode comprar uma água para mim?”. 

Por fim, uma boa dica para ajudar nesses momentos é procurar ler sempre mais. O hábito da leitura nos deixa mais familiarizados com as normas da língua portuguesa e, consequentemente, acabamos errando menos na hora de escrever ou falar.

E aí, conseguiu esclarecer essas dúvidas de português? Fique de olho para não perder nenhuma! Se ainda restou alguma outra questão, deixe o seu comentário!

You may also like
3 dicas para saber se o curso de medicina é realmente para você
Como fazer resumos para estudar para o vestibular?
5 razões para fazer um curso na área da saúde

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Nome*
Site

Share This