Carreira

Fazer um curso de engenharia é coisa de homem?

Para responder de forma simples a questão feita no título do post: não! O curso de Engenharia não é destinado exclusivamente ao público masculino. No decorrer deste texto, outras informações serão dadas acerca das maravilhosas mulheres que fazem parte da história dessa linda profissão.

Infelizmente, até hoje vivenciamos os preconceitos e machismos da sociedade. Um dos maiores mitos é que profissões com muitos cálculos e grandes responsabilidades não devem envolver mulheres. A boa notícia é que a desigualdade vem diminuindo e que cada vez mais as moças têm conquistado o seu espaço nessa carreira.

Quer saber mais sobre o assunto? Continue a leitura e conheça um pouco sobre a história feminina na engenharia!

Quem são as engenheiras que fizeram história?

Destruindo preconceitos e quebrando várias barreiras, algumas mulheres conseguiram fazer história dentro do ramo da engenharia. Conheça alguns nomes!

Emily Roebling

Emily atuou como chefe no projeto da construção da famosa ponte do Brooklyn, em 1872, após seu marido se retirar da empreitada por motivos de saúde. Foi uma das pioneiras no ramo e abriu as portas para diversas mulheres das próximas gerações.

Edwiges Maria Becker Hom’meil

Edwiges foi a primeira mulher a se formar em Engenharia no Brasil, no ano de 1917, na atual Escola Politécnica da UFRJ.

Enedina Alves Marques

Enedina foi a responsável por dois grandes feitos de uma só vez: além de ter sido a primeira engenheira formada no estado do Paraná, em 1945, foi a primeira negra a receber o diploma de Engenharia em toda a história do Brasil.

Hedy Lamar

Lamar era uma mulher de muitos talentos e foi uma famosa atriz de Hollywood popular por sua beleza. No entanto, isso não a impediu de ajudar a desenvolver mecanismos importantíssimos durante a Segunda Guerra Mundial, que são utilizados até hoje na fabricação de novas tecnologias.

Stephanie Kwolek

O kevlar, uma das substâncias mais resistentes da Terra — utilizada, inclusive, em coletes a prova de balas — foi inventada por uma mulher. Esse material é cerca de cinco vezes mais forte do que o aço. Depois dizem que as mulheres são o sexo frágil, não é mesmo?

Edith Clarke

Ela foi a primeira mulher formada no famoso Instituto de Tecnologia de Massachusetts, nos EUA, além de ser a primeira professora de engenharia do país.

Atualmente, diversas mulheres estão escrevendo os novos capítulos da história da engenharia, como Lisa Earnhardt, Lisette Titre, Tracy Chou e Aicha Evans. Vale a pena pesquisar um pouco mais sobre elas!

Qual é a atual situação do mercado de trabalho para as engenheiras?

De acordo com diversas pesquisas, a representação feminina na Engenharia cresce a cada dia mais com o passar dos anos e isso é uma ótima notícia!

Dados divulgados pelo INEP mostram que o número de alunas aumentou cerca de 68% em 12 anos, uma porcentagem muito mais expressiva que o crescimento masculino no mesmo espaço, que é de 39%.

Pesquisas feitas em 2017 apontam que mais de 30% de todos os engenheiros no mercado são do sexo feminino. Quando somados às inúmeras possibilidades que a Engenharia oferece, é possível afirmar que o mercado ainda tem espaço para muitas engenheiras.

Quais são as características do curso de engenharia?

Quando falamos sobre essa carreira, a maioria das pessoas acredita que ela se resume a construção de edifícios e vistoria de obras. Embora essa seja, sem dúvidas, uma das áreas de atuação dos engenheiros, o curso possui muitos outros ramos que podem ser escolhidos, como:

  • aeronáutica;
  • ambiental;
  • cartográfica;
  • computação;
  • alimentos;
  • controle e automação;
  • horticultura;
  • petrolífera;
  • segurança do trabalho;
  • elétrica;
  • civil;
  • florestal;
  • industrial;
  • mecânica;
  • mecatrônica;
  • naval;
  • sanitária;
  • têxtil;
  • biomédica;
  • materiais;
  • pesca;
  • física;
  • hídrica;
  • química;
  • metalúrgica;
  • produção.

Como você pode ver, há cursos para todos tipos de gostos e personalidades — a maioria deles com duração de 5 anos — que vão de grades exclusivamente voltadas para as ciências exatas a outras mescladas com matérias biológicas e humanas.

E aí, está decidida a se aventurar no curso de engenharia? Quem sabe você não será a próxima engenheira a figurar uma dessas listas, não é mesmo? Para saber mais sobre o assunto, confira as páginas dedicadas aos nossos cursos de Engenharia Civil e de Produção!

You may also like
Mercado de Medicina: em quais áreas posso atuar?
6 qualidades que um futuro enfermeiro deve ter
Cursos na área de saúde: conheça o potencial do mercado no Brasil!

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Nome*
Site

Share This