Carreira

Mercado de Medicina: em quais áreas posso atuar?

Você enfrenta uma rotina exaustiva de estudos, consegue ser aprovado no vestibular para a graduação mais concorrida do país e começa, então, a cursar medicina. Com muito suor e dedicação, passa noites sem dormir memorizando conceitos, conhecendo os pormenores do corpo humano, investigando doenças, enfrentando os plantões ininterruptos e, de repente, vê os seis longos anos do curso chegarem ao fim. E agora, o que fazer?

Embora o mercado de medicina ofereça opções bem amplas de atuação, nem todos os médicos terminam a faculdade com a certeza da área que pretendem seguir. A seguir, daremos uma mãozinha para que você possa enxergar as melhores opções e identificar o quanto antes a área que mais se adequa ao seu gosto. Confira!

Cenário atual da área

batalha enfrentada antes mesmo de começar a investir na medicina é só uma prévia do que virá pela frente. Uma vez estudante e até depois de formado, a dedicação, a jornada exaustiva e o controle emocional para lidar com situações difíceis só aumentam.

Acostume-se: essa rotina irá lhe acompanhar para o resto da vida, ainda mais em uma época em que a tecnologia vem provocando mudanças na forma de se trabalhar a medicina. Você provavelmente terá um bom salário, mas essa alta remuneração exigirá algo em troca.

Um dos motivos é que o curso de medicina tem uma duração de 6 anos, exigindo dos estudantes muita dedicação e foco. Atualmente, essa graduação é oferecida somente na modalidade presencial com vagas em universidades privadas e públicas.

Mas não basta apenas fazer o curso em uma boa faculdade para garantir uma vaga no mercado de trabalho. Hoje, é fundamental buscar especializações e acompanhar as novidades tecnológicas.

A inteligência artificial, a realidade virtual, os sensores vestíveis e a telemedicina são exemplos de novos recursos que estão sendo adotados nos tratamentos de saúde. Quanto mais atualizado um profissional estiver, maiores são as possibilidades de obter bons resultados e de conquistar o reconhecimento dos pacientes.

Realidade do mercado de medicina

Distribuição geográfica

Apesar da grande quantidade de médicos concluindo a graduação a cada ano, no país, o mercado da medicina está longe de se esgotar. O principal problema da profissão, hoje, é a má distribuição dos profissionais: há excesso nas capitais e grandes centros urbanos e carência no interior e nas regiões Norte e Nordeste do país, onde sobram vagas e o salário pode chegar a mais de R$ 15 mil para recém-formados.

Especialidades

Além disso, a distribuição desigual também envolve as especialidades de atuação. Das áreas tradicionais, oito delas — Pediatria, Cirurgia Geral, Cardiologia, Ginecologia e Obstetrícia, Anestesiologia, Medicina do Trabalho, Ortopedia e Traumatologia e Oftalmologia — concentram mais da metade dos profissionais em exercício no país, segundo o Conselho Federal de Medicina (CFM).

Na outra ponta, porém, as especialidades menos procuradas estão entre as mais promissoras. É o caso, por exemplo, da medicina diagnóstica, da medicina esportiva, da medicina nuclear e da genética médica, que reúne apenas 241 especialistas em atuação no país inteiro, segundo a pesquisa Demografia Médica, divulgada em novembro de 2015.

Por isso, é importante que os novos médicos estejam atentos às transformações do mercado e ao avanço da tecnologia: são eles que estão indicando o boom que algumas especialidades podem sofrer nos próximos anos.

Com a intenção de ajudá-lo a encontrar a melhor escolha para exercer a medicina, vamos destacar características de especialidades que estão em crescimento. Acompanhe!

Medicina Esportiva

O foco é o estudo sobre como o exercício físico pode ser utilizado na prevenção, no tratamento e na reabilitação de pacientes. Além de trabalhar com atletas profissionais, o médico esportivo pode prestar atendimento a pessoas de qualquer idade que apresentam doenças, como asma, obesidade e hipertensão.

Em 2005, foi criada a residência Esportiva no país. Essa ação possibilitou uma maior capacitação dos profissionais da área, que devem ter como características a afinidade com a prática de esportes, a boa comunicação e a busca por excelentes resultados.  

O mercado de trabalho nessa área está em expansão no Brasil, com destaque para as regiões Sudeste e Sul. De acordo com o Site Nacional de Empregos (SINE), um profissional pode receber um salário que vária de R$ 3.700,00 a R$ 15.600,00.

Geriatria

Com o envelhecimento de uma parcela significativa da população, a geriatria é uma das especialidades que está em evidência atualmente. Isso porque o geriatra tem como principal atribuição acompanhar a saúde do idoso, fornecendo um atendimento direcionado para a qualidade de vida.

Para isso, o profissional necessita ter um bom conhecimento de diversas áreas da medicina, como cardiologia, ortopedia e endocrinologia. Também necessita ter qualidades como a paciência e a capacidade de ouvir e compreender as demandas das pessoas.

Na maioria dos casos, os idosos precisam de um apoio periódico para reforçar a autoestima. Então, o geriatra exerce um papel essencial para tornar o envelhecimento um processo mais tranquilo para os pacientes.

Com oportunidades de trabalho em todo o país, esse profissional pode receber um salário mensal de R$ 3.300,00 a 13.600,00, segundo o SINE.

Nutrologia

O nutrólogo é formado em medicina e especialista em nutrição. Esse profissional é responsável por diagnosticar, prevenir e tratar as doenças relacionadas a postura alimentar.

Além de prescrever remédios, esse médico verifica a carência ou o excesso de nutrientes, estipula a quantidade ideal de proteínas e vitaminas para os pacientes e estabelece a dieta ideal para cada pessoa.

Ele também se caracteriza por apresentar um grande conhecimento de nutrição, de doenças crônicas e da obesidade. De acordo com o SINE, um nutrólogo recebe um salário que varia de R$ 3.600,00 a R$ 14.600.

Áreas em que o médico pode atuar

Setor público versus setor privado

Depois de terminar a faculdade, o médico pode optar por atuar no setor público ou no setor privado. No público, o profissional pode exercer atividades técnicas relacionadas ao planejamento e implementação de ações e políticas de saúde ou, ainda, atuar no atendimento de postos de saúde, serviços de pronto-socorro e hospitais públicos. No privado, a opção são os consultórios particulares, os hospitais privados e os laboratórios.

Clínica geral versus especialização

O médico também tem outra opção à sua escolha: exercer a clínica geral (é o médico generalista) ou uma área específica de cuidado (os chamados especialistas). Há, no país, 53 áreas reconhecidas pelo CFM que envolvem os campos da promoção de saúde, prevenção e tratamento de doenças e reabilitação do ser humano. Para alcançar este título, é preciso fazer uma residência médica durante dois anos.

Consultórios versus clínicas particulares

Ao optar por um consultório, um profissional mostra que tem um direcionamento mais voltado para as consultas. Nesse local, ele pode trabalhar junto com os outros médicos, porém de maneira independente. Contudo, as despesas para manter a infraestrutura do local (água, luz e aluguel, por exemplo) devem ser compartilhadas. Isso exige bastante organização e planejamento para obter bons resultados.

Em uma clínica particular, o médico trabalha como funcionário e conta com recursos voltados para a realização de exames. A vantagem é que não é necessário se preocupar com despesas para manter o funcionamento da unidade, o que propicia mais condições de buscar informações sobre como aperfeiçoar os serviços.  

Escolha o quanto antes

Diante de tantas opções, é natural que o médico recém-formado enfrente dúvidas na hora de escolher sua área de atuação e local de trabalho. Sendo assim, é preciso começar a analisar seus gostos e afinidades desde o primeiro dia de aula e ir pesando no que vale a pena investir e o que é melhor deixar de lado.

Dentro do mercado de medicina, o salário costuma ser alto, mas varia: o local de trabalho, a complexidade dos procedimentos e o valor das consultas são determinantes para definir um parâmetro de remuneração.

Para ficar bem informado sobre cursos superiores e tendências de algumas carreiras, assine agora mesmo a nossa newsletter. Afinal, o conhecimento faz a diferença!

You may also like
Como funciona a residência em cirurgia geral?
Quais as áreas de atuação na carreira de enfermeiro?
Confira 4 ótimas dicas para escolher um curso de licenciatura

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Nome*
Site

Share This