Carreira

O que analisar para escolher uma boa faculdade?

A escolha de uma carreira não é lá a decisão mais fácil desse mundo. Mesmo após diversos testes vocacionais, pitacos de familiares e amigos, ainda é bastante comum que existam dúvidas quanto a melhor escolha — um grande nó em nossas cabeças. E o pior é que não é só isso.

Tão importante quanto definir uma carreira, é escolher uma faculdade que atenda às suas expectativas, que te permita alcançar seus sonhos e objetivos. Afinal, de nada adianta traçar uma rota e definir um destino se o navio naufragar, certo?

Portanto, a escolha de uma boa faculdade depende de pontos importantes que devem ser analisados com cautela. E quais seria esses pontos? Nessa hora, ter calma e fazer uma boa pesquisa te ajudarão a definir uma ótima instituição de ensino, para que você siga adiante com seu sonho profissional.

E por falar em ajuda, esse primeiro passo é com a gente! Então, continue lendo este post e veja quais são os seis pontos que você deve analisar na escolha de uma boa faculdade. Confira!

1. Infraestrutura

O primeiro quesito que você pode avaliar na escolha de uma boa faculdade é a infraestrutura que ela oferece para seus alunos. Contudo, observe que essa infraestrutura abrange bem mais do que um prédio bonito com funcionários trabalhando.

Existem muitas diferenças entre os cursos, e o segredo é analisar como a faculdade se adapta às necessidades de cada um deles. Talvez, a grande diferença entre o curso superior e o ensino médio é o fato de que o estudo na universidade une teoria e prática.

Então, além de informações sobre as salas de aula, os laboratórios, as bibliotecas e demais dependências físicas, procure conhecer como as atividades são desenvolvidas no ambiente de ensino — e, especialmente, procure a opinião de ex-alunos.

Mas faça isso sempre considerando as particularidades de seu curso. Alguns cursos, como o de química, demandam aulas práticas em laboratórios específicos; outros, como o de direito, a possibilidade de trabalho em um escritório. 

Ainda outros, como as licenciaturas, precisam de um estágio com professores já formados. Tudo isso conta, e fará grande diferença em seu aprendizado.

2. Financiamento

Durante muito tempo, as condições financeiras foram pedras no caminhão de quem desejava cursar o ensino superior.

Historicamente, alguns estudantes — muitos ganhando um valor próximo de um salário mínimo mensal — sempre tiveram a mensalidade como um grande obstáculo para continuidade de seus estudos. Recentemente, no entanto, as portas do ensino superior foram abertas para essas pessoas.

Hoje, o estudante já pode buscar uma bolsa de estudos ou um financiamento por meio dos programas governamentais (FIES e ProUni), ou ainda uma das opções fornecidas pelas próprias instituições de ensino.

Então, se esse é o seu caso, ao escolher uma faculdade verifique a adesão da instituição a tais programas. E a própria instituição também pode oferecer bolsas para os melhores alunos, além estimulá-los por meio dos financiamentos, que só serão pagos após o ingresso do novo profissional no mercado de trabalho.

3. Certificação do MEC

No Brasil, a validade de um curso superior está condicionada a sua certificação pelo Ministério da Educação. O que significa dizer que, sem tal aprovação, anos de esforço podem ser jogados fora com um diploma que, na prática, não tem valor nenhum.

Então, busque por uma escola superior que já tenha o curso reconhecido pelo Ministério da Educação, e que esteja com essa certificação em dia.

Além disso, é importante observar os resultados da instituição de ensino no ENADE (Exame Nacional de Desempenho de Estudantes), porque já houve casos de instituições que perderam sua certificação em virtude de resultados ruins.

4. Extensão universitária

Uma boa faculdade também oferece cursos de extensão universitária aos seus alunos. Eles ajudam na compreensão da profissão, aprofundam conhecimentos específicos e ainda direcionam o futuro profissional para áreas que ele ainda não conhece.

Geralmente, tais cursos têm duração menor do que os curso de pós-graduação e abordam temas específicos relacionados a formação. E as instituições de ensino costumam apostar neles como forma de permitir ao aluno um aprofundamento nos assuntos de seu maior interesse.

Dessa forma, a extensão universitária é um diferencial no currículo de quem está estudando, pois mostra ao mercado que o aluno não ficou restrito ao conteúdo ministrado em sala de aula.

E ainda permite a interação de alunos de diferentes períodos e matérias, possibilitando uma rede contatos poderosa.

5. Parcerias

Vale ressaltar que nenhuma boa faculdade existe como uma instituição isolada, fechada e restrita. Ela estabelece relações com outras instituições e empresas, para que o aluno se desenvolva da melhor maneira possível.

Então, ao escolher uma faculdade verifique também as portas que ela abre fora do campus. Oportunidades de intercâmbio, estágio e iniciação profissional ou científica são alguns exemplos de como a interação da universidade com o mercado de trabalho e com demais instituições é importante.

Além disso, não raras vezes, temos acesso a cursos, seminários, palestras, no brasil ou no exterior, graças ao trabalho realizado pela instituição nessa área. E essas parcerias permitem a vinda de grandes profissionais para os eventos internos.

6. Professores

Por último, a cereja do bolo — afinal, uma instituição de ensino é feita por pessoas. Os professores são a referência dos alunos: com eles, compartilham seus conhecimentos, experiências e criam a primeira ponte para o mercado de trabalho. Nesse tema, precisamos de cautela em dois aspectos: o conhecimento do professor e sua didática.

Todos nós já nos deparamos com aquele sujeito que, embora demonstre as maiores capacidades do mundo, não tinha a habilidade de transmitir o que sabia para os alunos. E o resultado era uma classe desanimada, aborrecida, doida para ir embora, não é?

Quanto a isso, não há jeito: use das redes sócias (Facebook, LinkedIn etc.), faça buscas em comentários da internet, procure os ex-alunos pessoalmente ou, se tiver disponibilidade, assista a algumas aulas experimentais (geralmente, são gratuitas).

Quanto ao conhecimento, as certificações dos professores colaboram para a formação de um time disciplinar. O site da faculdade quase sempre traz as realizações do seu corpo docente, uma rápida visita pode cair bem. Títulos de mestrado e doutorado podem ser um excelente indicativo, bem como publicações científicas e livros.

Pois bem, agora que você já sabe como escolher uma boa faculdade, que tal aproveitar para seguir a gente nas redes sociais e ter acesso a mais conteúdos como este? Curta nossa página no Facebook, fique de olho em nossos tweets, atente-se às nossas referências no Pinterest e venha curtir nossos posts no Instagram!

You may also like
Por que estudar é fundamental para crescer na carreira profissional
Confira 3 mitos comuns do curso superior de Matemática
Plano de carreira: saiba como elaborá-lo em 6 passos

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Nome*
Site

Share This