Carreira

Saiba mais sobre o promissor mercado de startups mineiro

Você sabia que, desde 2015, o número de startups mineiras cresceu 320%? Essa é uma constatação feita pelo censo realizado pelo governo de Minas Gerais. Além disso, verificou-se que nos últimos oito anos, a expansão foi de 556%. Esse cenário demonstra a força do mercado de startups, além de confirmar que o avanço tecnológico e as inovações geram empregos e aquecem o mercado.

Em Minas Gerais, considerada o principal celeiro das startups, essas novas empresas formam ecossistemas de ajuda mútua, fundamentais para impulsionar o crescimento de cidades nas quais elas localizam. 

Quer saber mais? Acompanhe este texto e conheça alguns exemplos de startups que dinamizam a tecnologia em Minas Gerais. Confira! 

Coffee Valley 

A Zona da Mata mineira é historicamente conhecida pela intensa produção agropecuária. Mas, recentemente, outro setor tem ganhado destaque: o mercado de startups.

A FACIG, localizada na Zona da Mata mineira, criou o Coffee Valley: um centro de incubação voltado para a comunidade acadêmica da região. 

Ele tem o objetivo de incentivar alunos e professores da instituição a entrarem no mundo do empreendedorismo. As startups que surgem durante o projeto recebem investimento de R$ 120 mil para dar os passos iniciais.

A Coffee Valley tem grande potencial para tornar-se um centro de pesquisa e desenvolvimento de novos produtos, uma vez que a Facig conta com 17 cursos de graduação em diversas áreas. 

San Pedro Valley

A região centro-sul da capital mineira tem cheiro de tecnologia. O bairro São Pedro concentra mais de 200 empresas surgidas desde 2011. Não é à toa que a região ficou conhecida como San Pedro Valley, cujo termo remete à região americana Silicon Valley, ou Vale do Silício, local que abriga empresas de tecnologia como Google, Facebook e Apple.

São diversos os segmentos de startups que funcionam no San Pedro Valley, como a Legal Office, uma startup que oferece serviços necessários para administração de empresas. Também tem a agência Post Roll que se dedica a oferecer os serviços de Comunicação e Marketing Digital.

Seed 

Grande parte das startups mineiras não trabalham sem apoio. O SEED (Startups and Entrepreneurship Ecosystem Development) é um programa de aceleração de próprio governo de Minas Gerais. Essa foi a primeira aceleradora com recursos públicos do país e não para de ajudar as startups mineiras. 

Estima-se que mais 152 startups e 384 empreendedores participaram do projeto. Geralmente, cada projeto passa seis meses de aceleração. O capital de investimento gira em torno de R$ 68 mil a R$ 80 mil.

Critt

No interior de Minas também tem startups. Em Juiz de Fora, o Centro Regional de Inovação e Transferência de Tecnologia (Critt) é um ambiente que apoia iniciativas empreendedoras e projetos inovadores. Localizado na Universidade Federal de Juiz de Fora, a incubadora dispõe de espaço físico para instalação das empresas e ambientes de uso compartilhado.

No Critt, ideias inovadoras consegue crescer. Lá desenvolve-se sistemas de medição de tensões no sistema ferroviário, pomada natural anti-inflamatória, além de equipamento e método para identificar adulteração no leite e similares, dentre outras novidades. 

Essas foram algumas informações sobre o mercado de startups em Minas Gerais. Se você quiser compreender mais sobre o espírito empreendedor, necessário para abrir uma startup, procure ler livros sobre administração e empreendedorismo. A Menina do Vale, de Bel Pesce, Como Steve Jobs Virou Steve Jobs, de Brent Schlender e Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas, de Dale Carnegie, estão entre as obras interessantes sobre o tema.

E aí, você tem alguma ideia na cabeça que seria uma ótima proposta para criar uma empresa? Conte para a gente deixando seu comentário neste post! 

You may also like
O mercado de Odontologia é rentável no Brasil?
5 características comuns dos dentistas de sucesso
O que analisar para escolher uma boa faculdade?

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Nome*
Site

Share This