Carreira

Veja como ser um analista de sistemas e se destacar no mercado

O analista de sistemas é um sujeito que fica animado e extremamente curioso quando está diante de trabalhos que envolvem redes, softwares e hardwares. Mas longe de nascer sabendo sobre todo esse aparato tecnológico, esse profissional teve que trilhar um caminho específico. Então, como ser um analista de sistemas?

Essa carreira compreende conhecimentos que envolvem tecnologia da informação, engenharia de software e até mesmo negócios. Mas não para por aí!

Quer saber mais? Acompanhe este texto e conheça quais são as funções, os níveis hierárquicos, os conhecimentos desejáveis e o mercado de trabalho para o analista de sistemas. Confira!

Funções do analista de sistemas

Como o próprio nome da profissão já indica, o analista de sistemas tem a atribuição de realizar diversos tipos de análises em sistemas, identificando e solucionando problemas. Para isso, ele precisa testar, documentar e implantar sistemas de tecnologia da informação em uma empresa, como numa startup, ou no governo, seguindo a carreira pública.

Por exemplo, na área de negócios, o analista de sistemas tem a função de criar e acompanhar sites e sistemas de determinada empresa. Tudo deve estar extremamente sincronizado e seguro para que os clientes consigam ter acesso aos serviços online da organização.

Essa profissão também tem o dever de elaborar levantamentos e projetos de sistemas de acordo com o perfil da instituição. Essa atividade pode contar com a colaboração de programadores e gestores na articulação das melhores estratégias.

Conhecimentos e habilidades esperadas do analista de sistemas

O conhecimento que o analista de sistemas precisa ter varia muito de acordo com a área de atuação. Mas, de modo geral para o início da carreira, o analista de sistemas deve ter uma boa noção de hardware, periféricos e conceitos básicos sobre processo unificado. Ainda precisa entender sobre projetos e desenvolvimento de softwares.

Ele também deve ter conhecimento sobre interfaces gráficas e saber elaborar projetos na área de banco de dados. Para isso, é bom que entenda sobre algoritmos, estruturas de dados e comandos de entrada e saída. 

Níveis hierárquicos

Assim como toda carreira, há uma divisão de níveis hierárquicos. Esses se dividem a partir do nível de conhecimento, responsabilidade e experiência de trabalho. São três os níveis hierárquicos.

O primeiro, o nível júnior, compreende aqueles analistas de início de carreira. Geralmente, possuem inglês intermediário, têm no máximo 2 anos na função de gerenciar e analisar banco de dados, além de fazer levantamento de requisitos.

O nível seguinte é o pleno. Ele compreende todos os conhecimento do júnior e mais algumas atribuições. Por exemplo, deve-se dominar processos de engenharia de software e estimativa de projetos. Também é desejável saber utilizar as metodologias de desenvolvimento de aplicações e sistemas. Quem está no nível pleno possui entre 3 a 4 anos de experiência.

Já o último nível, o sênior, abrange analistas de topo de carreira. Eles têm inglês avançado e uma outra língua, como espanhol ou francês. Dominam todas as funções dos níveis hierárquicos anteriores e ainda entendem de gestão de pessoas, infraestrutura de TI e negócios. Esse nível profissional sabe realmente como ser um analista de sistemas.

Mercado e áreas de atuação

É muito ampla a área de atuação do analista de sistemas e, por isso, há grandes oportunidades no mercado. Por exemplo, esse profissional pode trabalhar no segmento de produção de software. Ela desenvolve plataformas e ferramentas, faz a arquitetura e analisa a evolução de sistemas de software.

Outras áreas também bastante promissoras são as de desenvolvimento de aplicativos e jogos e robótica. Por exemplo, o setor de jogos on-line rendeu 4,9 bilhões de reais no Brasil no último ano. As empresas estão sempre procurando analistas para trabalhar nesse setor.

Essas foram algumas dicas de como ser um analista de sistemas. As capacidades que esse profissional precisa ter podem ser conseguidas, em parte, por meio de uma boa formação. Procure fazer uma graduação em Análise e Desenvolvimento de Sistemas e fique mais preparado para os desafios do mercado de trabalho para essa carreira.

Tendências para o mercado

Aqueles que não perdem um lançamento no mundo tecnológico sabem que, a cada dia, surgem novidades incríveis — e é questão de tempo para aquilo que era considerado moderno tornar-se obsoleto.

Quer um exemplo? Antes, a internet era o ápice da tecnologia, certo? Hoje, já surgiu um novo conceito que tem revolucionado o modo como lidamos com os aparelhos.

Estamos falando da internet das coisas, sistema que tem a capacidade de otimizar e facilitar o acesso às ferramentas. Por meio de um comando de voz, é possível desde ligar um carro até mesmo acender as luzes de casa. 

Também existem as interfaces de celulares e aplicativos, que estão cada vez mais sofisticadas, sem falar das plataformas como serviço (PaaS), que são ambientes locados na nuvem. 

Esses são apenas alguns exemplos. Fato é que o analista de sistemas participa ativamente do desenvolvimento, execução e gerenciamento de novos aparatos, contribuindo constantemente com a evolução da tecnologia. 

Escolha do curso e da faculdade

Está decidido a atuar nessa área, mas tem dúvidas em relação a como escolher a melhor universidade? Veja, então, algumas dicas para selecionar a opção ideal para você!

Busque referências no mercado

Ninguém melhor do que profissionais já consolidados para fornecer dicas de universidades de destaque.

Converse com amigos e especialistas, e veja qual é a indicação deles. Pergunte também para professores da área — com certeza, eles terão informações valiosas que vão auxiliá-lo a escolher. 

Analise a infraestrutura e o corpo docente

Outro ponto que merece atenção e que vai fazer total diferença no momento de bater o martelo é a infraestrutura da universidade. Certifique-se de que o espaço contempla todos os aparatos necessários para atendê-lo. Observe desde os computadores até as salas de aulas, cantinas e afins. 

Tão importante quanto observar a infraestrutura é analisar o corpo docente. Verifique se os professores são capacitados e procure pelo currículo lattes deles, dando a devida atenção para a trajetória acadêmica. 

Pesquise sobre a tradição da instituição de ensino

Quando você fala sobre o curso de analista de sistemas, qual é o primeiro nome que vem à sua mente? Isso não acontece aleatoriamente. Pelo contrário: a instituição realiza um trabalho minucioso para se destacar no mercado e se tornar a número um na opinião do público. 

A Facig, por exemplo, é uma universidade renomada e reconhecida no mercado de trabalho, devido à sua organização e qualidade de ensino. 

Essas foram algumas dicas de como ser um analista de sistemas. As capacidades que esse profissional precisa ter podem ser conseguidas, em parte, por meio de uma boa formação. Por isso, procure fazer uma graduação em Análise e Desenvolvimento de Sistemas e fique mais preparado para os desafios do mercado de trabalho para essa carreira.

Gostou deste texto e quer começar a fazer o curso? Então, entre em contato com a Facig, uma instituição de ensino superior bastante conceituada e com ótima estrutura!

You may also like
Aplicativo de Teste Vocacional da FACIG está disponível para iOS e Android
3 profissões que estão em alta na região Sudeste e você precisa conhecer
Unindo o útil ao agradável: 4 páginas para estudar no Facebook

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Nome*
Site